Praia de Santander

SANTANDER // Espanha

Praia de Santander
Praia de Santander

Desci do ônibus e pisei, já sem os chinelos, no asfalto quente. Quente como areia fervendo.

O motorista gritou algo indecifrável – quase que sem vontade de abrir a boca para falar. Acenei com a cabeça como se tivesse concordando e segui a pé pela calçada.

Carregava apenas a minha mochila nas costas e uma toalha na mão. Não precisava de mais nada. Talvez, nem da mochila.

Era uma escadinha de madeira, bem simples, entre a calçada e a areia da praia. Em poucos passos já pisava na areia – tão quente como o asfalto da cidade.

Os pés queimavam. Areia quente feito brasa. O incômodo maior ainda era o da mochila.

Tão rápido quanto “um segundo” me lembrei: Quantas vezes recusei aquelas ligações insuportáveis do Banco Santander? Quantas vezes passei longe das agências bancárias e quantas vezes até troquei os comerciais na televisão? Tentei escapar mas fui parar em praia com nome de banco.

Sentar por poucos minutos e contemplar o mar de Santander não é nenhum sacrifício. Poderia fazer isso durante horas, dias, durante meses.

Tudo aqui é inversamente proporcional a minha intolerância às agências bancárias.

Um mar azul (azul mesmo!!!) quase transparente e um sol que nunca some durante o verão.

Foi a primeira vez que estive num paraíso europeu. Um paraíso de verdade! Aquelas praias que a gente só vê nos cinemas e que nem parecem existir.

Uma delas existe! Eu vi!

Santander fica no norte da Espanha, na comunidade autônoma da Cantábria. Uma pequena cidade de 18 mil habitantes mas que carrega um nome tão poderoso quanto as belezas naturais.

Foi aqui que surgiu o banco Santander, famoso no mundo inteiro.

Lá pelos anos de 1800 a Rainha Isabel II decretou a criação de um banco na cidade justamente para administrar melhor os gastos e as riquezas da região. Era o Banco de Santander. Conta a história que o banco cresceu e se expandiu por outras cidades da Espanha. Já em 1920 a família Botín passou a administrar a rede – o que acontece até hoje.

Aliás, a casa da família Botín – que já está a frente do banco há três gerações – é parada para centenas de turistas. A mansão ocupa praticamente uma quadra inteirinha e possui certamente a melhor vista da cidade… de frente para aquele mesmo mar azul que eu passara muito tempo admirando.  A diferença é que a  família Botín vê o mar da janela de casa e eu das areias quentes! Quente como o asfalto.

Não quis conhecer a casa dos tais poderosos. Passei reto. Apenas uma olhada de canto de olho. Não faço questão… (minhas pequenas confusões ideológicas). Prefiro as belezas naturais da orla.

Santander é uma cidade jovem. Jovem nos dois sentidos. Por ter algumas universidades respira gente que só quer saber de festas, praia e estudos (?!?!). Em todas as esquinas lá estão eles combinando a noite, bebendo cerveja, fazendo esportes.

É jovem também pq a cidade sofreu um grande incêndio em 1941. O fogo começou numa pequena rua e se espalhou com ventos de 140 quilômetros por hora que atingiam Santander naquela madrugada de verão. Foram dois dias sem conseguir controlar as chamas. O resultado: 37 ruas foram destruídas,  400 prédios ficaram arruinados, milhares de pessoas perderam suas casas e apenas uma pessoa morreu (justamente um bombeiro que tentava controlar o fogo). Por conta disso, Santander precisou ser reconstruída. Prédios novinhos, modernos e muito mais seguros foram erguidos – o que dá até hoje uma cara muito mais jovem para a cidade.

O vento que espalhou o fogo naquela madrugada não esteve nem perto da cidade enquanto estive nela. Nenhum sinal de um ventinho mais forte.

Tão rápido quanto “um segundo” me lembrei do atendente de telemarketing. Aquele mesmo que por tantas vezes torrou a minha paciência me oferecendo uma conta-corrente novinha.

-Não, não, não quero! Vou precisar repetir isso quantas vezes?

O que será que o atendente está fazendo nesse momento? Ah como eu gostaria que ele me telefonasse agora! Justamente agora!

Ele ia ouvir repetitivamente como eu amo Santander!

Santander
Santander

O QUE FAZER EM SANTANDER?

-Tempo necessário para conhecer a cidade: 2 dias. Mas se puderes, fique mais tempo. Só assim para você conhecer bem a vida nessa praia incrível. Há várias opções de atividades para se passar a semana toda por lá.

-A casa da família Botín (dona do banco Santander) é uma opção de turismo.

-Não deixe de tomar um dos melhores banhos de mar da sua vida em Santander.

-As principais praias de Santander são El Sardinero 1 e El Sardinero 2 separadas apenas por um grande cassino.

-“Sardinero”  pq Santander sobreviveu por muito tempo do mar. Hoje o turismo movimenta milhões de euros todos os anos. Inacreditavelmente ate um estádio de esportes na cidade tem a forma de uma sardinha!!

-No final da tarde sente em uma das “terrazas” dos bares para ver o por do sol. A luz alaranjada reflete naquela água limpa e vai te hipnotizar com uma das cenas mais lindas da Espanha!

-No mar centenas de barcos ficam ancorados no porto. Uma imagem incrível!

-Conheça o Palácio de  Madalena. De lá é possível ter uma visão ainda melhor de toda a orla.

-Durante o verão esse mesmo palácio se transforma em Universidade.

-Próximo ao Palácio de Madalena há um parque cheio de atrações. Tem um minizôo com pinguins e leões marinhos.

-Passe uma tarde no “Puerto Chico”, onde estão ancoradas várias embarcações. Há vários barzinhos para comer as tradicionais Tapas espanholas.

194.santander
Mirante do Castelo
Anúncios

8 comentários sobre “SANTANDER // Espanha

  1. Lembrei do Guia do Mochileiro das Galáxias. Uma toalha é imprescindível a qualquer mochileiro. Também acho que a mansão dos caras deve ser a parte mais chata do passeio. Fato!

    AbraçozzZ

  2. Muito legal tua história
    Gostaríamos muito de poder faze_lá
    Da mesma forma como contas
    Deve ser encantador conhecer a Espanha desse jeito, sem hora pra voltar.
    Como conseguiste essa promessa rapaz???
    Nos conte teu segredo!!
    Estamos ansiosos pra saber!!
    Abraços!!
    Renato e Leia!

    1. Liza, o lugar é mágico mesmo. Quanto ao trabalho lembre-se que para trabalhar na Espanha você precisa ter cidadania espanhola ou europeia. Outra possibilidade é você ser convidada, ainda no Brasil, para trabalhar no exterior. Você não pode entrar na Espanha sem um trabalho já formalizado ou sem uma transferência garantida de seu trabalho no Brasil para lá. Mas que dá vontade, com certeza dá! Grande beijo e obrigado pela visita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s